Pablo Schreiber nos ajuda a entrar no final de 'Defesa de Jacob', incluindo como ele antagonizou Chris Evans

Pablo Schreiber nos ajuda a entrar no final de 'Defesa de Jacob', incluindo como ele antagonizou Chris Evans

De Pablo Schreiber Defendendo Jacob personagem, Neal Logjudice, fez uma viagem e tanto ao longo da série limitada Apple TV +. Durante a maior parte do show, o pit bull de um promotor parecia muito um vilão, em vez de um mero antagonista do ex-promotor público assistente de Chris Evans, Andy Barber. Com o final, porém, ficou claro que Neal estava trabalhando em direção a outro objetivo (em forma de flashback) o tempo todo. O filho de Barber foi inocentado das acusações de homicídio, apenas para ser acusado de reivindicar uma nova vítima durante as férias comemorativas da família. Então, outra terrível tragédia aconteceu, e vimos que Neal estava lutando por justiça para o ex-acusado, o próprio jovem Jacob Barber.

Claro, Pablo não era estranho a papéis difíceis antes de conseguir esta série de suspense dirigida por personagens. Ele também é um homem com muitos estilos diferentes de atuação e pelos faciais. Muitas pessoas se lembram dele como George Pornstache Mendez a partir de OITNB . Ele também jogou para duende com costeletas fabulosas Deuses americanos , e ele raspou tudo por Covil de ladrões . Pablo também aterrorizou os telespectadores às vezes, incluindo sua interpretação de um dos caras mais malvados de Lei e Ordem: SVU Longa história. Ele está sombrio The Wire e engraçado pra caramba Ervas daninhas . Ele pode fazer tudo, incluindo confrontar Chris Evans em Defendendo Jacob . Pablo foi gentil o suficiente para discutir o final da série conosco e como é assumir uma variedade de papéis.



Em primeiro lugar, espero que você esteja bem e seguro durante o período de quarentena.

Sim claro! Estou passando um tempo com meus filhos. Na verdade, sou um porco na merda, se posso dizer isso de forma tão crua. Estou muito feliz por estar em casa. Eu estava trabalhando na Hungria por cerca de seis meses antes de a pandemia atingir, então, quando fechamos, voltei para casa e parece uma oportunidade real de estar com as crianças e cuidar de sua educação. Por mais dura que seja a realidade em tantas maneiras, definitivamente há bênçãos disfarçadas, e uma delas é passar um tempo com sua família quando você não achava que iria conseguir.

Muitos de nós também estão mudando os hábitos de higiene, então tenho que fazer esta pergunta, já que você é conhecido por alguns papéis em cabelos faciais. Você está experimentando algum de seus looks antigos?

Eu estou flutuando entre apenas me deixar levar por curtos períodos de tempo até que eu tenha que fazer algum tipo de manutenção básica. Eu diria que provavelmente estou perto de como um Covil de ladrões . Tento raspar ou zumbir a cabeça a cada poucas semanas e, quando minha barba fica maluca, eu a aparo. Estou tentado a deixar isso passar completamente. Era para lá que eu queria ir, mas acabei de concluir algumas entrevistas para as câmeras e provavelmente ninguém quer ver isso.

Você acha que alguém quer ver o look do pornstache de novo?

Tenho certeza que muitas pessoas iriam Como para ver isso, mas não é algo que eu quero ver neste momento. [Risos]

Você fez muito anti-processual ( The Wire ) e processual ( Lei e Ordem: SVU ) papéis, então como você decidiu fazer Defendendo Jacob ?

A escrita. Foi uma das peças mais completas e bem escritas que li em minha carreira, de verdade. Quando consegui, tinha todos os oito episódios intactos e achei que Mark Bomback tinha feito um trabalho incrível e extraordinariamente lindo de dar corpo a tudo de uma forma e contar uma história que realmente tinha a ver com a complexidade moral de ser humano, e para mim, a maneira como ele puxou a cortina do estereótipo bom contra mau foi muito sofisticada e bonita. E então, o resto estava tentando cumprir essa visão. Quando está funcionando, ele faz um trabalho muito bom nisso, e outras vezes, provavelmente fica aquém, mas eu estava realmente atraído pela escrita.

Eu ia perguntar quanto do roteiro você viu, já que não sabíamos por que você estava depondo o personagem de Chris Evans até o final.

Sim, exatamente. Eu acho que especialmente para este papel, para preparar alguém, você teria que mostrar a eles o final para fazer o início funcionar. Você está olhando para Neal através de uma lente muito diferente no início do que no final, e realmente não é até o final que ele consegue apenas um pouquinho de explicação. Porque você segue a família Barber e, especificamente, Andy tão de perto, Neal em diferentes momentos é um aborrecimento ou uma força completa do mal. E não é até o final que você percebe que ele está realmente lutando e tem lutado desde o caso no tribunal. Ele meio que foi longe demais durante o caso no tribunal, mas no depoimento da Suprema Corte de Nova York que você está testemunhando em flashbacks periódicos, acho que ele está tentando reparar alguns dos seus ultrapassagens e realmente buscando justiça para a criança. Mas você não percebe isso até o final, é claro.

Você verifica as reações nas redes sociais enquanto um programa vai ao ar? Houve algumas reações fortes a Neal, embora elogiassem seu desempenho.

Ohhhh bem, se eu tivesse escrúpulos sobre isso, eu teria deixado este negócio há muito tempo. Estou acostumado com isso. Tudo bem, eu interpretei vários personagens que você adora odiar, então meu trabalho é cumprir meu trabalho dentro de uma história, e Neal se sentiu como uma oportunidade de interpretar alguém que era visto de uma maneira, mas apenas por causa da perspectiva e do ponto -of-view. No final do dia, ele está realmente fazendo um trabalho muito bom. Ele está sendo um promotor muito bem-sucedido e está fazendo tudo o que precisa para obter justiça com as informações de que dispõe no momento.

Então, esse show tem um super, super elenco. Foi uma experiência estranha fingir intimidar o Capitão América?

Oh, foi um prazer trabalhar com Chris. Ele claramente fez um trabalho incrível nesta série, o melhor trabalho de sua carreira, eu acho, e isso quer dizer muito. Ele fez um trabalho fantástico ao longo de sua carreira. Eu acho que seu trabalho nisso está ficando mais sutil e com mais nuances do que muitas coisas em seu passado, e é palpável, você pode sentir isso. Foi muito divertido trabalhar com ele e criar. Além disso, Cherry Jones é da minha alma mater, a Carnegie Mellon University, e também uma atriz de teatro muito clássica. Comecei minha carreira no teatro, e lutar com ela foi realmente um dos destaques da minha carreira. Vou me lembrar daqueles dias no tribunal por muito, muito tempo.

Não temos muita história de fundo sobre Neal, provavelmente intencionalmente. Você sabia mais sobre ele?

Claro, você sempre quer dar corpo à sua história de fundo, e vemos um pouco disso entre os personagens. Aprendemos que Andy e Neal, bem, houve uma relação de mentor, que na verdade explica muito sobre o comportamento e foi bastante - em termos de Andy ser a pessoa que ensinou a Neal todas as coisas que ele eventualmente usa sobre ele - é um pouco como uma situação de galinhas voltando de casa para poleiro. Mas além das coisas que você vê, você sempre quer dar corpo à história, ou você terá um ser humano incompleto.

Você tem esperanças de onde Neal irá em sua carreira?

Bem, para onde eu quero que ele vá, e para onde eu acho que ele está indo, pode não ser a mesma coisa, mas antes da conclusão, quando Patz se confessa e se mata, e o caso é encerrado, é um verdadeiro ponto de viragem para Neal. Acho que antes desse momento, ele era muito político e queria muito ser o [promotor público assistente]. Ele se via como o próximo da fila, e acho que estava fazendo todo o possível para se colocar nessa posição. E no momento em que Patz se confessa e se mata, e ele se depara com o fato de que fez tudo para processar uma criança, que (naquele momento) parece não ser culpada, eu acho que realmente o abala profundamente, e ele questiona tudo o que estava fazendo. E acho que a ideia de política de carreira torna-se muito menos real para ele, e ficamos sabendo [mais tarde] que ele decidiu seguir em frente e trabalhar como consultório particular. Então, claramente, em minha mente, suas ações durante o depoimento, você percebe que ele está fazendo tudo isso para obter justiça, mas você vê até onde ele vai para fazer as pazes. E então, na minha mente, a ideia de trabalhar como consultório particular para Neal - um cara que já tem um controle vago sobre sua própria bússola moral - a escrita está meio que na parede Ele se tornará um [advogado particular] muito bem pago, e sua bússola moral provavelmente não será treinada para o Norte verdadeiro.

Um papel como esse vai para casa com você à noite? Você desempenhou muitos papéis pesados, ainda mais do que este.

Sim, eu diria que isso é menos impactante do que os personagens mais pesados ​​que fiz em termos de trazê-lo para casa e afetar minha vida. Por causa de alguns dos temas mais pesados ​​com os quais lidei, sinto que estou bem preparado para deixá-los por conta própria.

Você prefere papéis sérios ou a comédia geral que você às vezes faz?

Eu não diria que não é uma situação de ou ou. Eu quero trabalhar com tantas cores diferentes e energias quanto eu puder. É realmente um grande presente para mim, como contador de histórias, me esforçar em tantos lugares diferentes e estar com pessoas fazendo muitas coisas diferentes. A variedade do que faço é a maior parte da atração. Então, comédia ou drama para mim, vamos fazer tudo, e todos eles têm suas próprias vantagens e interesses. É um pouco como perguntar se você prefere teatro, filme ou TV. Todos eles têm seus próprios pontos fortes incríveis e qualidades únicas, então eu odiaria ser forçado a escolher.

Bem, você definitivamente está fazendo tudo. Você me fez rir e me deu pesadelos, então, obrigado por ambos.

Obrigado, eu aprecio isso. Eu realmente me sinto grato e muito feliz por poder fazer o que faço. E saber que tem um efeito abrangente é provavelmente o melhor elogio que posso receber, então obrigado.

Toda a série limitada ‘Defending Jacob’ está agora disponível na Apple TV +.