Comunidade de tatuagem do Japão comemora movimento em direção à legalização

Comunidade de tatuagem do Japão comemora movimento em direção à legalização

A Suprema Corte do Japão decidiu que não é ilegal tatuar sem licença médica, em um momento histórico para a prática e a comunidade.

A decisão histórica, proferida na quarta-feira, diz respeito a um tatuador de 32 anos chamado Taiki que havia sido multado em 150.000 ienes (cerca de £ 1.100) por um tribunal distrital por violar a lei dos médicos ao tatuar três pessoas sem licença médica.

O Supremo Tribunal anulou esta decisão afirmando que as tatuagens requerem habilidades artísticas diferentes das da medicina, e que não se pode presumir que os médicos façam o ato exclusivamente e, portanto, concluam que a prática não é um ato médico.

Esta decisão do tribunal superior é uma grande notícia para a comunidade de tatuadores no Japão, uma vez que efetivamente legaliza a tatuagem. O Juiz Presidente Koichi Kusano também afirmou, no entanto, que novas leis precisariam ser elaboradas a fim de regular os riscos potenciais à saúde envolvidos com a tatuagem, sugerindo que regulamentos futuros podem estar a caminho.