Pusha T na Casa Branca, garagem no Reino Unido e Dilla

Pusha T na Casa Branca, garagem no Reino Unido e Dilla

Eu sinto que esta é a parte da minha carreira em que estou, você tem que começar a ajudar a impulsionar os outros. Isso faz parte da promoção da cultura hip hop. Sentado confortavelmente em trackies cinza algumas horas antes de seu show em Brixton, Pusha T reflete sobre como entrar no outono de sua carreira. O ex-Clipse MC ainda está encontrando pico após pico em sua própria música, e tendo recebido a coroa como presidente da Boa música , ele está ciente de suas novas responsabilidades. Cara, temos que ter certeza que ele permanece por aí. Não podemos evitar novos, jovens (artistas), precisamos abraçar a energia em evolução. Muitos dos grandes que eu amei, eles não faziam isso. Eu sinto que é por isso que sua expectativa de vida foi de cinco anos, quatro álbuns.



Darkest Before Dawn é o prelúdio de seu próximo terceiro álbum King Push . Lançado em dezembro do ano passado, é um projeto que envolve nomes como Timbaland, Kehlani, Boi-1da e Jill Scott, mas é tão fiel ao seu ofício quanto qualquer coisa do Clipse We Got It 4 Barato série de mixtape de uma década atrás. São as camadas em suas letras que tornam seus registros atemporais, e ele admira os impérios construídos por magnatas como Puff, Dr Dre, Russel Simmons e Jay Z. Definitivamente, há algo a tirar deles - Jay Z especialmente, do ponto de vista de um artista, ele diz. Ele nunca falta paixão para mim. Isso me dá esperança de que posso conciliar o rap e o lado comercial disso.

Conhecemos Pusha em Brixton em seu Darkest Before Dawn tour para falar sobre seu último álbum, J Dilla, sua visita à Casa Branca para discutir a reforma da prisão e seu amor pela garagem.

Você poderia nos guiar pelo processo de fazer Darkest Before Dawn ?



Pusha T: Darkest Before Dawn foi um projeto feito na forma mais pura do hip hop. Tive acesso a alguns dos maiores produtores de música do mundo, e o que eu queria fazer era fazer um álbum cheio de música que fosse o lado B de todos os grandes. Quando eu estava com Puff, poderia ter dito: ‘Puff, cara, precisamos fazer Problemas de Mo Money Mo , 'Mas em vez disso eu disse:' Eu quero fazer Quem atirou em você e Minha queda . ’

Eu disse a Timbaland: ‘Cara, eu amo suas batidas, mas eu realmente gostaria de todos os arquivos que Jay teria feito que não fosse o single principal dele.’ Porque eles me fazem rap diferente. Tudo era tão pouco convencional. É apenas uma questão de me esforçar neste ponto da minha carreira - estou fazendo música que me deixa feliz. Essa é a música que é divertida para mim. Eu sinto que tenho uma base de fãs para isso, (e) minha base me entende. Eles querem de uma maneira e se ganharmos um pouco mais, se eles estão alto o suficiente e gritam alto o suficiente e trazem mais pessoas para o nosso jogo, então você é bem-vindo. Darkest Before Dawn é meu trabalho solo favorito, incluindo minhas mixtapes. Mas fica aquém de Inferno não tem fúria .

Inferno não tem fúria O décimo aniversário está chegando ...



Pusha T: Sim, sim. Provavelmente chorarei naquele dia.

Em ‘Intro’ você diz: ‘O único ótimo que não fiz melhor foi J Dilla’. Qual é a derrota de Dilla que você poderia ter para si mesma?

Pusha T: Oh cara. Certos rappers, quando se trata de Dilla, e de tudo que veio com ele, nós simplesmente perdemos. Tipo, perdemos o barco. Todos que tiveram a chance de realmente ligar e fazer parte do processo de trabalho com ele, devem ficar muito, muito gratos. Você pode imaginar ter acesso - especialmente na casa GOOD Music, com Kanye West fazendo a curadoria de tudo sob o sol - mas (você pode imaginar ter acesso a) um tambor Dilla?

Clipse: Hell Hath NoFury (2006)

O que significou para você ser convidado à Casa Branca com seus colegas de rap para discutir a reforma do sistema prisional?

Pusha T: A reunião significou muito, cara. Eu disse ao presidente que nunca teria estado na Casa Branca - eu moro na Virgínia, não fui naquela viagem de campo. Então, para falar sobre a reforma penitenciária, foi tão monumental para mim porque eu sou crescido, cara. Meus fãs, meu povo, minha família, eles me viram crescer de uma alma imprudente para alguém que realmente se preocupa com as consequências.

Fui convidado para ir assistir ao documentário do presidente de quando ele visitou a prisão, e estou olhando para as famílias e as crianças que estão na prisão por todo esse tempo. Estou apenas refletindo sobre isso, naquela época em que todas essas leis estavam sendo implementadas e executadas. Cara, não tínhamos ideia de que você estava conspirando contra nós. Toda a merda está saindo agora e, tipo, nós acabamos de sair, somos jovens, éramos um homem inteligente, mas às vezes você é muito inteligente para o seu próprio bem. Você racionaliza todo o mal que está fazendo porque não está fazendo algo que vocês consideraram ‘super errado’, como ‘Não estamos matando’ ninguém! Só estamos aqui tentando conseguir algum dinheiro! 'Fomos perseguidos. Éramos vítimas em relação a esse sistema prisional. Ser capaz de entrar na Casa Branca, e então ele nos pedir nossa ajuda e reconhecer nossa influência, foi realmente uma droga.

Você disse uma vez: ‘Só fico nervoso quando estou tocando para uma multidão que não é minha’. Como você pode saber quando é ou não é a sua multidão?

Pusha T: Veja o que está acontecendo na música agora - desculpe, o que está acontecendo na América corporativa agora - você tem corporações e negócios. E então você os tem contratando pessoas jovens e enérgicas que estão por dentro do lado do marketing, que sabem que Pusha T é um rapper de rua muito hardcore. Você tem pessoas que sabem que meu público é muito Forquilha - muito vanguardista, nicho - assim como os moradores de rua, assim como todas essas camadas diferentes. Mas às vezes eu farei algo para Ex-alunos da Universidade de Miami e, tipo, (risos) as sinergias são estranhas. Eu sei porque fui escolhido para isso, porque eu conheço a pessoa que me escolheu para isso. Mas eles não estavam pensando em termos abrangentes.

Então você acabou de seguir em frente?

Pusha T: Totalmente. Você apenas tem que dar o seu melhor. Você tem que ter certeza de dar a eles energia, cara.

Venho aqui desde Kelis em 97. Então, eu estou vindo para cá e estamos indo para o clube, para o Chinawhite e eles estão tocando esses discos incríveis. Mas você não pode dar uma cara a isso, e então você pergunta a alguém sobre isso - Pusha T na garagem do Reino Unido

Como a energia em Londres se compara com a de casa?

Pusha T: A energia de Londres é tão forte. Eles são tão apaixonados pela música, tem sido assim desde que cheguei aqui. E não é apenas rap, o elemento R&B é algo pelo qual gravitei quando cheguei aqui.

Você escuta garagem?

Pusha T: Sim! Escute, quando eu comecei a vir aqui, a garagem era tipo, foi a primeira coisa, e foi muito difícil para mim porque eu vim aqui e era muito subterrâneo. Veja bem, venho aqui desde Kelis em 97. Então, eu estou vindo para cá e estamos indo para o clube, para o Chinawhite, e eles estão tocando esses discos incríveis. Mas você não pode dar uma cara a isso, e então você pergunta a alguém sobre isso.

Naquela época, era tão underground, então eles estavam tipo, 'Oh, eu realmente não sei. O nome é este, eu realmente não sei quem eles são, mas eles são de tal e tal lugar. 'Eles poderiam me dizer de quais áreas eram. Eu fico tipo, ‘Foda-se, isso é a melhor coisa’. Voltei e estava contando a todos. Eu estava tipo, ‘Pharrell, a garagem de Londres é tipo ...’, porque neste ponto eles estavam apenas produzindo; não era sobre sua arte ou ele viajando muito. Isso me fez respeitar muito Londres porque, tipo, isso meio que me lembra de como meus pais possuíam esses discos antigos onde essas mulheres eram ótimas cantoras. Você talvez não pudesse anexar um rosto a ele, mas a grandeza era tão forte. Isso é o que me lembrou: apenas um amor orgânico, puro e apaixonado pela música.